[VITÓRIA 2X2 INTER] O Leão começou rugindo forte, mas não garantiu a caçada.


VITÓRIA X INTER

 

 Comecei o texto pré-jogo afirmando que o Leão precisaria rugir forte na selva da série A, e o time até que não fez feio, estreou empatando com o forte Inter, mas um resultado a lamentar. Isso porque o rubro negro abriu o placar de 2×0 e teve chances de ampliar, porém caiu de rendimento e cedeu ao empate.

 Logo aos 2 minutos uma jogada de qualidade entre aqueles que são verdadeiramente destaques deste elenco, Escudero e Renato Cajá trocaram passes precisos e insinuantes e o camisa 11 lançou a bola para área e Maxi Biancucchi antecipou a defesa e  chutou de primeira para marcar um golaço e fazer Vitória 1×0. O jogo começou de maneira promissora e aos 11 minutos Renato Cajá cobrou falta com precisão e Gabriel Paulista tocou de cabeça e marcou o segundo do Leão.

Após a marcação do segundo gol o Vitória teve com Nino e Dinei a chance de liquidar a partida mas, não aproveitou e esse é o perigo de jogar contra um time qualificado que tem jogadores do calibre de Forlán e Fred. Aos 29 Forlán diminuiu após uma jogada mirabolante de Fred que driblou 3 jogadores e após um tropeção ridículo de Wilson tocou para trás para o gol de Forlán, o Vitória continuou melhor em campo, mas isso somente até o final do primeiro tempo.

No segundo tempo o que se viu foi o Inter buscando empatar e o time baiano todo atrás aceitando a pressão, a saída de Cajá revela aquilo que tenho dito sempre, não temos ninguém para substituí-lo, nesse momento o time já estava com Giancarlo que não teve grandes chances, aos 18 minutos o balde de água fria, um lançamento em profundidade e a defesa dormiu, Fred dominou e tocou fácil para empatar o jogo. Foi tomar o gol e parece que o Vitória acordou na partida, o time passou a criar novas oportunidades, mas a falta de tranquilidade e preciosismo de Marquinhos e Vander foram cruciais para não sairmos com os 3 pontos.

Aqueles que leram o pré-jogo viram a opinião deste blogueiro, destaques dos times Cajá e Forlán de olho neles Maxi e Fred e não deu outra.

Tenho dito, o Vitória precisa de pelo menos 1 goleiro (cara para ser titular), 1 zagueiro (dá mesma forma), 1 meia( pelo menos para ser reserva de Cajá),  1 Centro Avante para ser a referência do time.

Agora é jogar e vencer o Náutico nos Aflitos.

 FICHA TÉCNICA

Série A

Vitória 2 x 2 Internacional

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)

Data: 25/05/2013

Hora: 18h30

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (FIFA/RJ)

Auxiliares: Fábio Pereira (CBF/TO) e Rodrigo Henrique Corrêa (CBF/RJ)

Gols: Maxi Biancucchi e Gabriel Paulista (Vitória) ; Diego Forlán e Fred (Internacional)
Vitória: Wilson; Nino Paraíba, Gabriel Paulista, Victor Ramos e Mansur; Neto Coruja, Cáceres, Escudero e Renato Cajá (Vander); Maxi (Marquinhos) e Dinei (Giancarlo). Técnico: Caio Júnior.

WILSON: É muito limitado, disse isso desde a sua chegada. Nota 5.0

NINO: Sacrificado na marcação, precisa de apoio dos companheiros, foi uma válvula no inicio do jogo. Nota 6.0

Gabriel Paulista: Se salva pelo gol que fez, mas dois gols de zaga amadora. Nota 5.0

Victor Ramos: Tem que voltar a pegar a Nicole urgente, caiu muito de rendimento. Nota 4.0

Mansur: Como já disse, é inexperiente, falta muito ainda (Tarracha urgente). Nota 2.0

Neto Coruja: Hoje não foi bem, marcou a distância, deu muito espaço. Nota 4.0

Cáceres: Dá mesma forma, precisa combinar com Coruja quem apoia Nino: Nota 5.5

Renato Cajá: Tem uma bola parada fenomenal e fez uma bela jogada com Escudero, time cai quando sai. Nota 7.0

Escudero: É um cara de muita qualidade, passe de precisão, precisa de um pouco de sorte nos arremates. Nota 7.5

Maxi Biancucchi: É o melhor atleta do time, pelo menos o mais regular, um golaço, deu canseira aos defensores: Nota 8.5

Dinei: Como eu queria que lembrasse o mesmo de 2008, mas é apenas dedicado taticamente. Nota 5.0

Vander e Marquinhos: Reboladores. Nota 3.0

Giancarlo: Não teve oportunidades, mas demonstra conhecer de futebol. Nota 5.0

Caio Junior: Não vou sacrifica-lo porque o time não tem peça de reposição, mas não pode ficar fazendo todos os jogos as mesma mudanças. Nota 6.0

 

Internacional: Agenor; Gabriel, Rodrigo Moledo, Juan e Kleber; Airton, Willians, Fred e D’Alessandro; Forlán e Rafael Moura. Técnico: Dunga.