[VITÓRIA 1X1 FLUMINENSE] Não se pode perder tantas chances


VITÓRIA X FLUMINENSE

POR: Marcelo Góis

Incrível a mescla de sentimentos nesse jogo entre Vitória e Fluminense, esta noite no Barradão. No primeiro tempo, vimos um Vitória alucinante: muito veloz, pressionando o adversário e muito determinado a acabar de vez com o jogo. Taticamente, notamos um time diferente da partida bisonha diante da Portuguesa. Sistema defensivo seguro, meio campo bem postado e jogando com seriedade e com exceção de Dinei, um ataque decisivo. Maxi confirmou sua boa fase, brocou mais um e é momentaneamente artilheiro da série A, com 8 gols. Marcelo Camacho enfim começou jogando óbvio que ele jogou recuado contudo, deu pra evidenciar é que se trata de um jogador que cadencia tanto o jogo, que chega a irritar.

Escudero ganhou liberdade pra jogar e deu boa mobilidade ao meio tanto que deu a assistência para o gol. No segundo tempo, o Fluminense voltou determinado a empatar e encurralou o Vitória. O que me deixa irritado é a absurda queda física do time que, teve três jogadores substituídos por lesão (Michel e Escudero com dores no Púbis e Tarracha com lesão no músculo posterior da coxa direita). Fred então, começou a fazer a diferença. Trabalhou no pivô e deu um passe para Jean na cara do gol finalizar e Wilson de maneira excepcional, defender e nos salvar. Em outro lance, o atacante Kenedi fez grande jogada e finalizou para outra grande defesa de Wilson, que em seguida, no reflexo pegou o rebote. Mais pro fim após cobrança de escanteio Wilson calculou errado, socou para trás e falhou bisonhamente, Fred livre pegou a sobra e empatou.

No ultimo minuto Fred apareceu na pequena área finalizando de cabeça e caprichosamente a bola foi no travessão. É impressionante o quanto esse esporte é cruel com qualquer atleta e em especial, na posição onde não se deve falhar nunca. Enfim, uma hora um resultado ruim ia aparecer e o torcedor deve e tem que entender que não há motivo para desespero. Incrível a mescla de sentimentos nesse jogo entre Vitória e Fluminense: Da empolgação, pra frustração e ao alívio.

FICHA TÉCNICA

Série A

Vitória x Fluminense

Local: Estádio Manoel Barradas, em Salvador (BA).

Data: 07/08/2013 

Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)

Auxiliares: Anderson José de Moraes Coelho (SP) e Luiz Souza Santos Renesto (PR).
Gols: Maxi Biancucchi (Vitória) / Fred (Fluminense)

 

Vitória: Wilson; Gabriel Paulista, Victor Ramos, Fabrício e Danilo Tarracha (Mansur); Michel (Edson Magal), Cáceres, Escudero e Camacho (Renato Cajá); Maxi e Dinei. Técnico: Caio Júnior.

 

Fluminense: Diego Cavalieri, Igor Julião, Gum (Diguinho), Leandro Euzébio e Carlinhos; Edinho, Jean, Wagner (Kennedy) e Felipe (Eduardo); Rafael Sobis e Fred. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

POR: Valmerson Santana

WILSON: Estava quase sendo canonizado quando cometeu um erro fatal para o gol de Fred. 7,5

Gabriel: Partida muito segura, tem sido destaque improvisado. 7.0

Victor Ramos: Deu duas patinadas mas no geral foi muito bem. 6,5

Fabricio: Acompanhou os companheiros, muito seguro, principalmente nas bolas áreas. 6,5

Tarracha: Jogou muito bem, e se tivéssemos um centroavante de verdade, venceríamos a partida. 7,0

Michel: Do sistema defensivo foi aquele que destoou, não apareceu no jogo. 4,5

Cáceres: Encostou legal no ataque e ajudou a pressionar a defesa do Fluminense bela partida. 7,0

Camacho: Não conseguiu imprimir aquele passe que se espera de um 10, cadenciou demais a partida.

Escudero: O cara do meio campo, muita garra técnica e uma bela assistência, o time sentiu sua saída 7,5

Maxi Biancucchi: Outro gol do nosso artilheiro, precisa ter um parceiro de ataque melhor. 7,5

Dinei: Pelo amor de Deus, um cara gigante tem tantas bolas alçadas e não consegue cabecear uma. Zero

Renato Cajá: Continuou com o péssimo futebol das ultimas partidas. 2,5

Edson Magal: Conseguiu aparecer mais do que Michel, mas entrou em momento complicado: 5,0

Mansur: Não conseguiu manter a pegada de Tarracha, sentiu a falta de ritmo. 4,5

Caio Junior: Armou bem a equipe, mas sofre com as peças de reposição, 3 substituições por questões de contusão e necessidade física. 6,0