Por que tanta crueldade com o torcedor?


Não tenho a pretensão (ruim) de fazer parte da única torcida que sofre nesse mundo (tantas outras torcidas são humilhadas com goleadas, vexames, anos e mais anos de jejum de título, etc), mas como o meu time não é um time qualquer e quem sente a sua dor é que geme, devo protestar, quando o Vitória quer machucar a torcida é com requintes de crueldade…

Parece que há uma intenção secreta, sobrenatural para os mais supersticiosos, bem real para os mais conspiradores, em fazer com que a torcida desacredite do clube, tipo “nem vou me empolgar, já conheço o Vitória!”. Sempre quando as coisas parecem caminhar bem vem aquele balde de água gelada, aquele choque, aquele jogo que nos mata de raiva e vergonha, e que às vezes é num momento tão decisivo que acaba se tornando uma tragédia para o torcedor nunca mais esquecer.

É meio clichê, mas tem coisas que só acontecem com o nosso time… Muitos dirão que é uma sina, um carma. Outros dirão que os culpados são bem de carne e osso, além dos culpados imediatos (os protagonistas), que são aqueles que dirigem o “espetáculo”. Há quem coloque a culpa até na plateia…

Não vou fazer um histórico, mas todos sabem que o futebol no Esporte Clube Vitória durante muito tempo foi negligenciado, amador, talvez até pela raiz de não ter sido fundado com esse foco, o objetivo de ser um clube de futebol, vencedor. Mas ao longo do tempo o progresso foi chegando e, sobretudo nas últimas décadas, essa mentalidade foi mudando dentro do clube e no meio da torcida. Ao menos nas lembranças que tenho, de um tempo não muito distante, até porque eu não sou tão velha assim, o Vitória não se portava como qualquer um, não era um adversário fácil de ser batido, entregue, principalmente em seus domínios. Não importava o que o Vitória precisasse fazer, se ia jogar no Barradão já era meio caminho andado!

Claro que os reveses acontecem, afinal é esporte, e mais do que em qualquer esporte no futebol acontece o imponderável. O torcedor tem que estar preparado para a parte ruim que é perder, e também para um mau dia, em que Murphy resolve entrar em ação, o problema é quando isso se torna uma constante… Vejam que não estou falando em derrota, que faz parte, falo em postura derrotista. E aí é que entra a pergunta, cadê o Coração de Leão? Quando, como, esse espírito desapareceu? Quem deixou desaparecer? Várias perguntas…

Seja qual for a explicação para esse mistério que atormenta o torcedor essa situação é muito triste. Até irritante às vezes, pois confesso que, apesar de compreender, não gosto quando vejo algum torcedor sempre prevendo o pior, com uma amargura crônica, incrédulo. E nem posso dizer que a desconfiança do torcedor é sem razão, mas a cada nova oportunidade prefiro acreditar que vai ser diferente. Acreditar não é se iludir, é não se deixar levar a desacreditar pelo medo do que já passou. Não é que eu seja boba, ou queira ser “torcedora-modelo”, é que simplesmente eu não vejo graça em torcer se não for assim.

Não quer dizer que ache isso tudo normal, jamais, pelo contrário, não aceito esse Vitória, não devemos aceitar esse Vitória!

Dizem que amar é para os fortes… Torcer é para os fortes… E torcer pelo Vitória é para os Guerreiros!

PS: Tentei atualizar o blog hoje pelo celular mas não tive sucesso, e como o texto de Jéssica compreende perfeitamente o que eu queria dizer, nada melhor do que presentear a vocês com este bom texto.

PS2: Zedagalera, fica terminantemente proibida a sua partida desta tribuna, o que é isso meu irmão? Mesmo com todas as dificuldades eu tenho segurado o blog por causa de vocês, e mesmo com as decepções que Alexi e  Cia me fazem passar, eu sei que  não posso vos abandonar. Por tanto, não aceito a sua saída de maneira alguma.

PS3: Fábio não irá deixar de publicar seu bons textos no CRN, tenho certeza que o sangue metaleiro dele não irá deixar, Fábio não é menino RESTART.

PS4: A bruxa esta a solta, Larissa saiu do GE, Zé da Galera querendo sair do LMP, Fábio querendo deixar o CRN, e eu recebi proposta para deixar esta tribuna.