Um jeito brasileiro para uma virada de mesa


Erros de arbitragem no futebol são recorrentes, mas anulação de jogos só aconteceu naquele grande esquema para beneficiar o Corinthians no episodio que ficou conhecido como máfia do apito, e você pode estar pensando o que isso tem haver com o Vitória, e digo logo que muito, e não é só o fato de que o alviverde é rival do nosso rival na luta contra o rebaixamento.

Quero deixar bem claro que sou a favor da legalidade e da justiça, sou defensor da preservação dos direitos, mas não posso admitir que este sirva apenas ao desejo de alguns privilegiados, em 2010 o arbitro da semifinal da Copa do Brasil, Heber Roberto Lopes, puniu Viáfara com cartão amarelo e mandou repetir a cobrança da penalidade executada anteriormente com paradinha, pois bem, a lei anti paradinha só iria entrar em vigor cerca de um mês após esta partida segundo a orientação da FIFA, esse mesmo arbitro uma semana antes validou uma cobrança de Neymar do Santos com a chamada paradona, o fato é que o Vitória foi até a justiça desportiva e no que deu? Não deu em nada, olha que o Vitória não pediu a anulação do jogo, apenas a revogação do  cartão aplicado, mas foi decidido indeferido, sob a alegação de que “ A decisão do juiz é soberana dentro de campo”.

Pois bem e agora a decisão do arbitro não é soberana? Ou como suspeito este jogo entre Inter e Palmeiras vai criar uma situação para uma nova virada de mesa, Pois Palmeiras, Bahia e Sport brigarão na justiça por causa deste jogo. O Sport pode alegar os erros contra o Atlético MG e o Bahia contra o Grêmio, mas a verdade é que não existe interesse de que o time que vai disputar a libertadores 2013, esteja na segundona do brasileiro.

Esta decisão irá se arrastar e caso na ultima rodada o Palmeiras esteja rebaixado com pontuação dependente desta partida, eis que vão fazer de tudo para o retorno da 2ª Copa João Havelange.

Lamentável é muito ruim ver que a “justiça” no Brasil serve ao interesse de poucos.

Anúncios