[Carpegiani] Vitória + Paraguai, Marketing ou Loucura?


Paulo Cesar Carpegiani chegou ao Vitória depois de muita novela e na apresentação disse que esta aguardando o desfecho de um projeto pessoal ainda este ano, mesmo não dizendo o que era, é claro que quase ninguém foi pego de surpresa e sabiam que se tratava de um possível convite para que o treinador volte ao comando da seleção “Larissa Riquelme”do  Paraquai, até aí normal mas o problema é que ele e diretoria rubro negra admitem que as coisas podem vim a ser de forma  paralela com Ricardo Silva assumindo a equipe em determinados momentos.

Qual a intenção do Vitória em aceitar isso? Será uma tentativa de alavancar um  certo marketing por ter um treinador que também comanda uma seleção mundial? Ou será uma loucura desvairada sem cálculos dos erros possíveis?

Como treinador de uma seleção que vai disputar as eliminatórias PCC ficaria cerca de 8 à 11 dias afastado do comando técnico do Vitória, este é o período em que ele recebe os jogadores convocados, faz a preparação para os 2 jogos que acontecem na mesma semana, Pouco tempo fora e como o Leão tem um grupo de auxilio técnico definido, pode não parecer um grande problemas, mas esta na formação do elenco do Paraguai a maior questão a ser pensada. Para convocar Carpegiani precisa assistir a jogos de jogadores Paraguaios, estudar táticas, esquemas e coisas relacionadas, aí é que o tempo do treinador pode ficar escasso para o Leão e prejudicar o rendimento da equipe.

Mesmo com o filho Rodrigo Carpegiani sendo o grande pesquisador do pai, não acredito que ele deixará isso  exclusivamente nas mãos de Rodrigo e nem acredito que a Associação Paraguaia iria aceitar tal fato.

No âmbito de mercado pode ser interessante para o Vitória que pode aproveitar do prestigio e marketing do treinador do Paraguai para contratar jogadores deste país e ainda expandir a marca Esporte Clube Vitória pelo mundo afora.

No mais vamos aguardar o inicio do trabalho de Paulo Cesar Carpegiani para responder se a diretoria acertou ou errou em trazer um treinador possivelmente dividido.

SRN