BOTAFOGO-SP X VITÓRIA Leão começa a batalha rumo a série A


O Vitória estreia logo mais às 11 horas na série B 2019 diante do Botafogo-SP em Ribeirão Preto, o time que tem novo presidente, quer também mostrar uma nova direção, já que o primeiro semestre do leão foi tenebroso. O técnico Cláudio Tencati teve a oportunidade de treinar e dar um padrão a equipe que terá mudança na formação e de alguns titulares.

O rubro negro deve ir a campo com 3 volantes mas o treinador esclarece que não tem a intenção de retranca, e sim de ter posse de bola e propor o jogo já que Andrade, Léo Gomes e Dudu Vieira tem características de gostar de conduzir a bola. Por outro lado o treinador tem a perda de Ruy vetado, ele que tem sido a principal referência técnica da equipe.

O Botafogo tem no seu comando técnico o idólo rubro negro, Roberto Cavalo e dentro de campo as referências são o lateral Pará e o meia Bruno José, cuidado com eles.

FICHA TÉCNICA
Botafogo-SP x Vitória
Série B – 1ª rodada
Local: Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto (SP)
Data: 27/04/2019 (sábado)
Horário: 11h
Árbitro: Pathrice Wallace Corrêa Maia (RJ)
Assistentes: Carlos Henrique Alves Lima Filho  (RJ) e Carlos Henrique Cardoso de Souza (RJ)

Botafogo-SP: Darley, Lucas, Leandro, Naylhor e Pará; Jonata Felipe, Marlon Freitas e Nadson; Bruno José, Erick e Rafael Costa. Técnico: Roberto Cavalo.

Vitória:  João Gabriel; Matheus Rocha, Edcarlos, Victor Ramos e Capa; Léo Gomes, Dudu Vieira e Rodrigo Andrade; Caíque Silva, Andrigo e Neto Baiano. Técnico: Cláudio Tencati.

PONTOS IMPORTANTES DA ENTREVISTA DE PAULO CARNEIRO PARA O NO AR COM ANDRÉ HENNING


A entrevista do ex-presidente do Vitória Paulo Carneiro ao programa NO AR com André Henning tratou de assuntos da história do clube mas foca apenas no lado positivo da gestão PC, talvez por falta de tempo as perguntas tenham sido centralizadas aos feitos que destacaram Paulo ao longo do seu comando a frente do EC Vitória, dentro de tudo que foi dito destaquei 5 pontos que considero importantes e que valem a reflexão.

1-COPA E LIGA DO NORDESTE

2-CRIAÇÃO DE UMA LIGA NACIONAL

3-DIVISÃO DE BASE

4-CAMPEONATO BAIANO

5-POLITICA DO ESPORTE CLUBE VITÓRIA

 

1 COPA E LIGA DO NORDESTE

O ex-presidente Paulo Carneiro na entrevista contou parte dos bastidores da Criação da Copa do Nordeste e citou a importância do retorno da competição ao formato que o consagrou nos anos 90, para PC, os clubes precisam se unir para priorizar o formato com datas aos sábados e domingos, aumentando o interesse dos investidores e elevando a competição que hoje vale R$ 30 milhões há um patamar de R$ 100 milhões por ano.

2-CRIACÃO DE UMA LIGA NACIONAL

Paulo retorna ao polêmico assunto do clube empresa, cita o exemplo da Argentina e diz que há uma necessidade de criar uma liga que defenda os interesses dos clubes principalmente no que tange a negociação dos direitos de transmissão, o ex-presidente afirma que os clubes aceitam muito passivamente os valores oferecidos pelas emissoras e cita o exemplo da entrada do Esporte Interativo que com a quebra de monopólio fez os valores da tv fechada saltar de R$ 60 para R$ 500 milhões.

3- DIVISÃO DE BASE

Ao citar a formação de grandes nomes na divisão de base, Paulo Carneiro fala da metodologia e do projeto do clube, e diz ser necessário que o clube tenha uma identidade independente do treinador, mostrar ao profissional que a filosofia do clube é ter por exemplo 2/3 de atletas formados em casa, pois não tem como ser diferente dada a diferença de orçamentos e que o clube precisa aliar as novas ferramentas de fisiologia, psicologia na formação de novos atletas.

PC ainda citou as competições internacionais, os confrontos contra grandes equipes do futebol mundial como fundamental na formação e que demonstrava a força do Vitória como uma das principais escolas do futebol mundial.

4- CAMPEONATO BAIANO

Para o dirigente é necessário que a dupla BAVI se uma, reúna com os clubes para mudar o formato da competição com calendário até junho mas com equipes sub-23, ele cita a possibilidade de ampliar o numero de equipes, ter mais praças esportivas, aumentando o interesse do mercado na competição.

5- POLITICA NO ESPORTE CLUBE VITÓRIA

Um clube dividido politicamente, assim Paulo define o Vitória antes dele e o Vitória atual, para PC o clube só pode crescer na sua gestão porque houve um projeto que foi abraçado, porque os nomes se unirão em prol de um projeto de fortalecimento do clube.

“O Vitória esta dividido politicamente desde o inicio de 2017 e isso é muito ruim” disse Paulo.

PC diz reconhecer a legitimidade de Ricardo David e que torce pelo mesmo, mas critica o isolamento do atual presidente há quem afirmou já ter se colocado a disposição para ajudar e citou também o ex-presidente do Vitória e atual presidente da Liga do Nordeste Alexi Portela que poderia contribuir neste momento de turbulência.

“O Vitória precisa se unir, precisa acabar com essa instabilidade politica” finalizou.

PS: Reitero a opinião do Leão Minha Paixão de apoio incondicional a democracia do clube e do direito de Ricardo David em cumprir seu mandato e que o próximo presidente seja escolhido na eleição no final de 2019.

[Eleição] Destaques dos 4 candidatos a presidência do Vitória!


phototastic-08_12_2016_43bb9d6d-8270-45d4-854a-77b08998ea97Amanhã (15/12) conheceremos o novo presidente do EC Vitória para os próximos 3 anos e o LMP resolveu destacar pontos positivos e negativos dos candidatos.

RAIMUNDO VIANA (CADA VEZ MAIS FORTE)

650x375_raimundo-viana-presidente-do-vitoria_1514277O atual presidente do Vitória assumiu o clube em grande crise após sucessivos fracassos de Carlos Falcão e conseguiu apagar as chamas.

Acesso pra série A do brasileiro

Campeão baiano 2016

Classificou para Copa do Nordeste 2017

Permanência na série A em 2017

“Fim da política de pés no chão” Com as compras dos direitos federativos de Marinho, Kieza e William Farias.

Inicio do projeto Arena Barradão.

O mandato de Viana também teve pontos negativos e com forte impacto na imagem do cartola.

Não aprovar a eleição direta para presidente

Não aprovar a formação de conselho proporcional.

Não ter renovado com Escudero e Gatito.

Não reforçar o elenco para o segundo semestre

Demora na definição da saída de Mancini

Campanha irregular no brasileiro

PAULO CARNEIRO (VITÓRIA GIGANTE)

10-03-15_paulocarneiro100315_1481207607Paulo foi presidente do Vitória na década de 90 e acumulou polêmicas a frente do comando, com estilo arrojado e agressivo, PC acumulou fãs e desafetos no clube.

Maior campeão estadual e do nordeste

11 consecutivos na série A

Revelação de grandes jogadores na base

Base papa títulos internacionais

Incluiu o Vitória no clube dos 13

Contratações de grandes craques(Petkovic,Bebeto,Túlio,Mazinho,Aristizabal,Edilson,Vampeta)

Vitória passou a mandar oficialmente seus jogos no Barradão

Boas campanhas nos brasileiros 93,98,99 e Copa do Brasil 2003

Mas como nem tudo é flores, houve também muitos problemas nos 17 anos em que PC ficou no comando.

Problemas de relacionamentos com parte da imprensa

Casos de agressão a repórteres e jogadores

Polêmica vendas de atletas como Hulk

Processo contra o clube com documentos falsos

Ida para o rival

Rebaixamento para séries B e C consecutivamente

RICARDO DAVI (VITÓRIA DE TODOS NÓS)

ricardo-daviRicardo teve passagem no departamento de marketing do Vitória e fez bom trabalho no setor, com ele as mídias sociais cresceram, o clube teve duas premiadas ações de marketing que ganhou o mundo mas também ficou marcado por criação de camisa “comemorativa”no rebaixamento 2014 ede estar ligado a gestão Falcão e sobretudo ter declarado que era contra eleições diretas.

IVÃ DE ALMEIDA( VITÓRIA DO TORCEDOR)

25015iv-de-almeida-escolhido-como-candidato-na-chapa-vit-ria-do-torcedor-2

Conselheiro do clube a bastante tempo, Ivã ganhou notoriedade nos últimos 6 anos e pode ser reconhecido como o cara que engatinhou um processo de oposição no clube quando em 2010 prometeu ir para o bate chapa com Alexi Portela e em 2013 com Carlos Falcão mas tem justamente isso contra a sua pessoa, após reunião do conselho desistiu de candidatura e esteve entre os que elegeram AP e CF por aclamação e sobretudo pelo fato de que nos períodos pós eleições não manteve uma postura sólida de oposição.

PS: Pouco se tem dos feitos de Ricardo Davi e Ivã de Almeida que permita listar seus pontos positivos e negativos até pelo fato de que nunca geriram o clube como os outros candidatos.

 

 

Liminar põe a Chapa Vitória Gigante novamente na briga


vitória giganteNa página oficial do Vitória Gigante, o grupo comemorou decisão judicial para que a chapa possa concorrer a eleição do Vitória no dia 11/12 com o candidato Walter Seijo e apoio do ex-presidente Paulo Carneiro.

Após o conselho ter acatado a denuncia das chapas Vitória do Torcedor e Vitória de todos nós e impugnado a chapa VG, já era esperado que o grupo recorresse da decisão e o juiz Walter Américo Caldas suspendeu a decisão o ato do conselho através do presidente José Rocha.

As chapas protestantes devem recorrer igualmente e tentar caçar a decisão do juiz e como já afirmei anteriormente, isso está muito longe de acabar e a eleição do clube deverá ser judicializada.

BOMBA: Chapa Vitória Gigante de Paulo Carneiro foi oficialmente impugnada!


vitória giganteA comissão presidida por José Rocha emitiu nota oficial no site do Vitória na qual decide impugnar a candidatura da chapa Vitória Gigante de Walter Seijo e Larissa Dantas com apoio do ex presidente Paulo Carneiro.

Membros das chapas Vitória de Todos Nós e Vitória do Torcedor fizeram requerimento para impugnação da chapa por descumprimento de regras do estatuto, e foi acatado.

O VG deve recorrer da decisão e podemos ter um grande imbróglio e judicialização da eleição do clube.

Abaixo o anexo da impugnação:

wp_ss_20161123_0001

Qual será a nossa casa ? Qual é a posição dos pré-candidatos ?


barradão lotado

POR: ROBSON LEÃO

 

Prezados amigos,

 

De início, gostaria de registrar que tive coragem de escrever estas singelas palavras em razão da possibilidade real de um debate entre as “três correntes políticas” do clube e sua torcida.

Finalmente, após 114 anos, apesar do anacronismo total do estatuto, o Vitória deve contar com chapas de oposição para apreciação dos sócios.

Ao revés da TUI, que teceu críticas ao debate instalado recentemente, acredito que a divulgação de proposta eleitoral é legítima a qualquer um sócio/torcedor (obs. Desistir de ser associado em virtude do estatuto, mas, se fosse, confesso que, em princípio, estaria inclinado a votar no msmv).

Neste contexto, como questão essencial ao debate, devemos indagar qual será o “mando de campo do Vitória no futuro ?????”.

O texto publicado neste espaço de discussão com o título BARRADÃO X FONTE NOVA: um debate urgente e fundamental, escrito por Jean Gerbase e referendado por inúmeros colegas de prestígio foi, em meu entendimento, o texto base para qualquer discussão.

Naquela oportunidade, o autor ressaltou a arquitetura de estádio alemão como referência para o Barradão.

A temática também foi tratada de modo contundente por Valmerson.

Além disso, não podemos deixar de mencionar o posicionamento de Fábio de que nosso clube poderia utilizar a Fonte Nova em alguns jogos.

Ocorre que, em  tese a temática continuar sendo discutida há anos, Alexi Portela não oferece uma resposta definitiva do seu plano. Ademais, os candidatos governistas também não apresentam uma proposta clara para a torcida e associados.

Fizeram um acordo para a realização de “jogos experimentais na Arena Fonte Nova” e, paralelamente, divulgaram nota acerca de suposto projeto de via expressa da Paralela ao Barradão.

Depois, tivemos  o comentário do candidato governista, Sr. Carlos Falcão, no sentido de que o Governo do Estado estaria de parabéns com a obra que alavancaria o futebol da Bahia. Como ? Será ?

O MSMV tem discutido a temática há algum tempo e também não apresentou o posicionamento definitivo que, segundo espero, deve ser apresentado à torcida na época da apresentação da chapa (como um autêntico compromisso de governo).

A candidatura de Peter/ Larissa (vitóriaséculo xxi) traz a proposta (sem comprovação de viabilidade técnica/ econômica e fática) de construção de uma arena pela metade do preço da Arena Fonte Nova.

arena do jacaré vazia

 

Pessoalmente, entendo que não há razão que motive acordo definitivo entre o Vitória e o Consórcio Arena Fonte Nova. Não foi por acaso que a Diretoria do Atlético/ MG assinou um contrato de 10 anos com a Arena Independência e se recusou a assinar com o Mineirão (ou será que o Galo Mineiro esta no prejuízo em jogar a Libertadores no Independência ???)  !!!

Apesar de algumas limitações, o Vitória construiu um Estádio particular respeitável onde, inclusive, já disputamos jogos internacionais oficiais, decisões de campeonatos nacionais, regionais e estaduais.

Por outro lado, no Estádio próprio, o clube tem a possibilidade de definir sua política de preço de ingressos, oferecer a possibilidade de publicidade aos seus parceiros e colaboradores e instalar equipamentos ligados ao próprio clube (memorial/ loja conceito/ promoções …..).

Ademais, não interessa ao Vitória jogar em um estádio com lotação de 50.000 se a média de público anual histórica do clube é de 12.000 por jogo.

No entanto, de fato, após a Copa de 2014, o paradigma acerca dos estádios de futebol no Brasil será alterado.

Isto implica reconhecer que o clube precisa de uma definição e, sendo o caso, adotar as medidas necessárias de adequação.

arena do jacare maquete

Desta forma, restaria três alternativas ao Vitória:

I. Reformar o Estádio Manoel Barradas.

II. Projetar a construção de uma Arena Nova.

III. Lutar pela concessão do Pituaçu.

arena do jacaré lotada

Pessoalmente, acredito que o caminho mais simples seria a negociação de concessão da Arena Pituaçu, mas acredito que governo nenhum tem interesse nisso.

Desta forma, teríamos duas alternativas:

I. Reformar o Barradão.

II. Construção de uma nova arena.

arena do jacaré entradasmapa_cruzeiro_arena_do_jacare

Antes de qualquer decisão, caberia a Diretoria definir qual seria a capacidade de público ideal para o Vitória.

Em minha opinião, o ideal seria a capacidade mínima para jogos oficiais internacionais decisivos, ou seja, 30.000.

Desta forma, teríamos uma taxa de ocupação média de 40% por jogo (considerando a média histórica do clube). Essa é a taxa de ocupação mínima para um estádio rentável na
Europa (o custo operacional de um estádio é elevado).

Assim, a reforma do Barradão ou a construção de uma nova arena deveria levar em conta essa capacidade de público.

A reforma do Barradão, em nosso entendimento, teria um custo menor e teria a facilidade da estrutura de CT já contar com vários campos de futebol etc … .

Não sou engenheiro e nem arquiteto, mas acredito que com 50% do que se gastou em Pituaçu (corrigido pelos índices oficiais) o ECV consiga transformar o Barradão em um estádio confortável.

A Arena Pituaçu também está encravada no outeiro, mas, em meu entendimento, a arquitetura mais próxima do Barradão seria a da Arena do Jacaré (observem no site do Democrata Futebol Clube).

Trata-se de um estádio muito simples construído sob um morro com um prédio administrativo de um dos lados do campo (arquitetura muito próxima a do Barradão) utilizado, por quase dois anos, como casa do Cruzeiro, Atlético e América.

Não sou a favor dos projetos mirabolantes de construir mais arquibancadas pelo morro e nem fechar a ferradura, uma vez que, o investimento seria gigantesco e o retorno econômico improvável.

Sou torcedor do Vitória e não do Barradão, de modo que, o Estádio deve ser o mais rentável para o clube e com o menor investimento possível (por isso, a sugestão de utilizar a Arena do Jacaré como paradigma).

Ocorre que, a Arena do Jacaré só comporta 20.000 torcedores sentados em cadeiras. Além disso, a Arena do Jacaré conta com um lance de cadeiras ao lado da imprensa (que, possivelmente, não seria possível no Barradão em razão do CT).

De todo modo, a destruição do atual prédio de imprensa seria necessária para viabilizar a construção de um prédio administrativo mais moderno e próximo ao gramado (para aumentar a área do estacionamento de camarotes).

Não seria possível colocar cadeiras em todo estádio em virtude do objetivo de manter a capacidade de público  próximo a 30.000. Aumentaria a quantidade de cadeiras de 6.500 para algo em torno de 13.000/ 15.000 e ampliaria a quantidade de rampas de acesso e escadarias além de dotar o equipamento com uma cobertura.

Provavelmente, o Barradão teria a capacidade diminuída para 25.000 e, neste contexto, seria necessário atuar na Fonte Nova em caso de decisões internacionais (o que nunca aconteceu em nossa história).

É isso que o Santos, o Atlético Mineiro, Vasco etc  fazem e não vejo problema do Vitória também utilizar a Arena Fonte Novas esporadicamente…. .

Não teríamos a capacidade ideal (30.000), mas teríamos um equipamento confortável para utilizar em 95% dos jogos oficiais.

Se a via expressa sair do papel, essa alternativa se tornará mais palpável.

Para comparar, vamos observar a arquitetura dos estádios no documento anexo.

De fato, a Arena do Jacaré se assemelha com o Barradão.

Basta observamos a Avenida em uma extremidade do Estádio e o Estacionamento em outro ponto.

 

Por outro lado, existe ainda um prédio administrativo com lances de cadeiras menores.

Em anexo, mapa da Arena do Jacaré com oito setores de cadeiras na ferradura e 2 no prédio administrativo.

 

A modernização do Barradão, para mim, deveria envolver:

 

I. Um aumento no número atual de cadeiras (no mínimo, o dobro).

II. Maior quantidade de escadarias na parte central e na lateral do lado do estacionamento.

III. Cobertura, pelo menos parcial, para abrigar os torcedores na ferradura.

IV. Destruição completa do prédio administrativo para construção de um prédio com pequeno lance de cadeiras como na Arena do Jacaré (isso poderia implicar no sacrifício de parte do 3º campo – poderia reduzir o tamanho para transformá-lo num campo society (parta treinar goleiros e treinos específicos) que teria capacidade total c/ camarotes para cerca de 1.000.

Teríamos 03 setores de cadeiras (Central: mais caro c/ 3.000 cadeiras / Setores 1 e 2 c/ 6.000 cadeiras cada com visão frontal do campo e na esquina da ferradura entre a parte central e o fundo do gol.

03 setores de arquibancada.

Setor 1. Que abriga a TUI atrás do gol com capacidade para 5.000

Setor 2. Atrás do gol contrário para torcida do Vitória.

Setor 3. No canto atrás do gol contrário a TUI para visitantes.

 

A construção de uma nova arena, em meu entendimento (proposta do vitóriaséculoxxi), deve ser analisada a partir da possibilidade de se comprar um terreno para o Estádio (com localização privilegiada) e outro mais distante para construção de um novo CT (pessoalmente, acho uma proposta vaga e de difícil execução).

Sem a garantia de que o clube contará com um novo CT totalmente construído  e um terreno privilegiado para a arena em troca da área de 300.000 m2 do atual complexo do barradão/ ct/ toca do leão …, não podemos nem pensar nessa possibilidade.

O Vitória precisa de um CT com, no mínimo, 4 campos oficiais e dois campos com grama sintética semi oficial para os profissionais e as divisões de base.

Sim, porque eventual endividamento seria com o custo do estádio (e só).

Se fosse optar por um modelo de arena para o Vitória, optaria pelo modelo da Arena Independência de Belo Horizonte (custo de 125 milhões).

De fato, muito mais simples do que a Super Fonte Nova, mas um espaço adequado ao nosso clube. O Estádio Independência conta com 23.950 lugares, sendo que, para aumentar a capacidade de público para 30.000, substituiria 6.500 cadeiras por 13.000 espaços de arquibancada para possibilitar o acesso por preços mais baratos para parte da torcida.

Outra possibilidade seria o singelo Frasqueirão do ABC que, após a conclusão teria a capacidade para 25.000.

O custo da Arena Independência foi de 125 milhões, mas acho que, atualizando, o custo seria de cerca de 200/ 250 milhões.

Pessoalmente, prefiro a alternativa de estudar a possibilidade de reforma do Barradão (utilizando a Arena do Jacaré como paradigma), mas acredito que o posicionamento deve ser analisado com mais profissionalismo do que o mero achismo desse humilde torcedor.

A convicção inicial reside no fato de que, mesmo que o atual patrimônio possibilite a aquisição de um novo CT e de um terreno para construção do Estádio (o que implicaria numa negociação muito vantajosa para nós), o Vitória teria que investir no mínimo 200/ 250 milhões.

Por outro lado, uma reforma no Barradão poderia ser feita com investimento entre 30/ 50 milhões.

Isso sem falar no custo operacional de manter um CT distante do Estádio.

Por outro lado, uma modernização do Barradão poderia ser feita por 1/5 desse valor, apesar de não tornar nosso estádio tão bonito quanto seria a segunda opção.

Visualmente, ficaria parecido com a Arena do Jacaré, mas poderia contar com uma cobertura para maior conforto.

 

De qualquer modo, a única convicção que tenho é que não temos motivos para transferirmos nosso mando de campo para a Fonte Nova a troco de nada (com o encantamento juvenil de Carlos Falcão e cia), uma vez que, o modelo do estádio atende as necessidades da copa, mas não do Vitória.

VITÓRIA SÉCULO 21Lança chapa oficial hoje e as eleições do clube promete ser disputada.


 

A-wfa4MCUAE7rJU

Petter Souza e Silva e Larissa Dantas apresentam hoje as 19 horas no Ed. Boulevard side empresarial o projeto Vitória Século 21 e lançam candidatura oficial à presiência do Esporte Clube Vitória, para isso estão convidando imprensa, conselheiros e sócios torcedores para terem ciência dos seus projetos.

 

Entre as proposições de V21 estão a abertura e democratização do estatuto do clube para que possa acontecer nos próximos pleitos eleições diretas no clube, Petter diz ainda que pretende estruturar o clube para que o mesmo suba ao patamar entre os 8 melhores clubes do  país em estrutura e gestão o que possibilite conquistar títulos de nível nacional, além de discutir o futuro do Vitória quanto a Arena Barradão.

 

A chapa do V21 conta com o apoio do ex- presidente Paulo Carneiro, mas o mesmo não irá para o bate chapa, apenas é cogitado a sua participação futura como funcionário do clube, alguém como um diretor de futebol que trabalhe de maneira remunerada, mas isso ainda será fruto de estudo, pois Petter afirma que PC fez grandes coisas pelo clube mas que ainda não discutiram nada do projeto e que a entrada dele ainda é incerta mesmo com o apoio que vem dando a chapa.

 

BATE CHAPA PROMETE SER INTENSO E HISTÓRICO

Além do Vitória Século 21 as eleições do clube poderá contar com mais 3 chapas postulando o cargo de presidência, Carlos Falcão com o Apoio de Alexi Portela pleiteando a continuidade da atual gestão, a chapa de Fábio Motta que já declarou que sairá candidato mas ainda é uma incógnita dentro do processo por não revelar se sairá em conjunto com alguma chapa já existente ou se lançará uma nova chapa e também a possível chapa do Movimento Somos Mais Vitória que corre para alcançar o número mínimo de associados para concorrer e que não descarta também em apoiar outra chapa caso não consiga lançar candidatura própria.

[OPINIÃO] Uma avenida só não faz Barradão


558852_375250605896399_1454174221_n

Retirado do site Leão da Barra

publicada por Mário Pinho em 18.12.2012 às 15:35

O anúncio feito pelo Secretario Nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo, Fábio Mota, quanto ao repasse dos recursos para a construção da Avenida Barradão, fez bater novamente o sentimento de esperança do torcedor rubro-negro em ver o Leão continuar atuando em seu Santuário com mais facilidade. Mas as coisas precisam ser mais bem explicadas.

A primeira verdade é que Fábio Mota, conselheiro e candidato declarado à presidência do Vitória, utilizou-se do fato da Toca do Leão ter sido selecionada como centro de treinamento de seleções da Copa de 2014 para agilizar a verba que viabiliza a construção da via expressa ligando a Avenida Paralela ao Barradão.

É aí que mora outra verdade; a tendência brasileira é a modernização dos palcos futebolísticos, tanto públicos quanto privados. Ou seja, só a facilitação no acesso não dá ao Vitória um novo estádio e, consequentemente, a certeza da desistência da Fonte Nova como novo mando de campo.

Com um contrato assinado para quatro jogos na nova arena, a diretoria rubro-negra se comporta como um homem casado que se arrisca a marcar um encontro com outra mulher – mais nova e mais bonita. Diante da acomodação de parte da torcida que, com toda certeza, se satisfará com a estrutura da Fonte Nova, será difícil não deixar a tentação falar mais alto.

Em seu twitter Fábio Mota critica frequentemente a inércia na busca de investidores para a modernização do Manoel Barradas. A postura de Mota é semelhante a do ex-presidente Paulo Carneiro, que de quando em quando relembra, também por meio das suas redes sociais, fotos e vídeos do projeto da Arena Multiuso, promessa d’um equipamento às margens da Paralela.

Contudo, no Barradão esse assunto não é comentado. A área atual pertencente ao Vitória permite a construção de uma moderna arena, de um magnífico centro de treinamento a até mesmo de um ginásio poliesportivo. Um convênio até já foi assinado com o governo do Estado, em 2009, que tornou real a execução desses projetos, mas até hoje nenhum sinal de obras. Segundo um conhecido site local, o governo prometeu, mas não tem como pagar.

Mais uma verdade nessa história, e talvez a mais animadora, é que os aproximados 4 km de distância entre a Paralela e o Barradão são cercados de prédios residenciais e construções irregulares, marginais a vias de pequeno porte. Ou seja, a construção da tão sonhada Avenida Barradão sem dúvidas acabará com a maior crítica ao estádio, que é o acesso, e contemplará a indiscutível maioria dos torcedores que não aceitam sequer especulações quanto ao abandono do chamado “Santuário”.

Por fim, e mais do que importante, é preciso que se faça barulho na Toca. A via-expressa é de suma importância, mas o Barradão não pode continuar do jeito que está. A eleição está chegando e o equipamento não pode deixar de ser uma prioridade para a próxima gestão. Manter o atraso do estádio é atrasar o próprio clube e disso os times nordestinos não precisam mais.

E cá para nós, mais vale a pena conservar a mulher amada ao se aventurar em uma “pagou, pegou”, não é mesmo?

E aí Vitória como e quando será?


Às vezes me pego pensando nas campanhas de marketing que eram utilizadas no BARRADÃO na década de 90, e sempre chego à conclusão de que aquele foi o momento mais próximo do clube rumo ao processo de crescimento. Projeto Rússia, Tóquio, Vitória Mania, Axé Vitória, Tetete Vitória e tantos outros, é bem verdade que estas tentativas não tiveram muito êxito, há não ser o Vitória Mania que é praticamente o mesmo sistema de sócio torcedor que temos atualmente, o SOU MAIS VITÓRIA.

Há verdade é que víamos e sentíamos o Leão da Barra galgando espaços e planejando o seu futuro, a expectativa era de que realmente em um espaço curto de tempo teríamos um clube mais estruturado e pronto para conquistar, mas o tempo passou e o sentimento é de retrocesso total na toca do Leão.

Naquela época quando estava assentado na arquibancada do monumental, os meus pensamentos sempre vagavam, e ansiava por viver as possibilidades descritas em cada um daqueles panfletos. E é justamente por isso que no momento eu penso que mesmo não querendo o retorno dele, tenho que afirmar que a maior diferença entre a gestão de Alexi Portela para a de Paulo Carneiro, é que PC nos ensinou a sonhar, e a sonhar com um Vitória grande.

Digo tudo isso após ver o Coritiba pela segunda vez na final da Copa do Brasil, talvez você tenha pensado aí o que tem haver uma coisa com a outra, calma, eu explico. No meu pensamento o caminho do rubro negro para o crescimento hoje, resume-se a COPA KIA DO BRASIL, e digo logo que não é questão do tão sonhado título nacional em suma, mas os leques de possibilidades que a conquista desta competição remete. O Coritiba teve um faturamento de aproximadamente R$ 9.000.000,00(nove milhões)com as classificações para as finais de 2011 e 12  e tudo isso só ocorreu depois de uma grande reformulação, pasmem foi após o rebaixamento que o time paranaense aprendeu a crescer.

Rebaixado para segunda divisão, endividado, estádio quebrado e interditado, os prognósticos não eram positivos, mas a diretoria do Coxa teve coragem e planejou um processo de reestruturação total do clube e isso envolveu todos os setores. Eles começaram por mudar a diretoria, contrataram ex- executivos de grandes empresas, pessoas com conhecimento empresarial e fizeram um planejamento paralelo ao departamento de futebol, a meta era retornar a elite, estruturar as contas do clube, e ser campeão da Copa do Brasil em 2012. Vocês sabem tudo que tem acontecido e por isso para de falar do Coritiba que inclusive nos eliminou este ano desta competição para comentar alguns fatos do rubro negro.

O faturamento do Vitória foi de mais de RS 5.000.000,00(cinco milhões) por chegar a final da Copa do Brasil 2010, o Leão abocanhou com arquibancada, premiações para cada avanço de fase, 2 patrocinadores exclusivos e crescimento de quase 50% do programa se sócio torcedor em virtude daquele ótimo momento, e é justamente por isso que a conquista da Copa do Brasil é para mim, a melhor e mais curta maneira do brioso crescer. Além de saciar o desejo pelo sonho do título nacional, e chegar a libertadores, teremos amplas possibilidades financeiras para dar um rumo de crescimento Vitória, mas temo muito que o momento não tenha ficado para trás, pois com as mudanças impostas pelo Corinthians a CBF, a competição será remodelada em 2013 e tende a ficar muito mais complicada, além de que durará praticamente o ano todos, sendo paralela ao campeonato nacional, e é por isso que eu pergunto: E aí Vitória como e quando será?

projeto Rússia

http://www.arenanordeste.com/paulo-carneiro/projeto-russia-capitulo-i

projeto Rússia parte 2

http://www.arenanordeste.com/paulo-carneiro/projeto-russia-capitulo-ii

Vitória um clube Auto-sustentável

https://valmerson.wordpress.com/2011/01/25/vitoria-um-clube-auto-sustentavel/

SRN

 

DUAS ENTREVISTAS BOMBÁSTICAS(Uelliton x Carpegiani) e Paulo Carneiro


Segundo a radio sociedade Carpegiani e Uelliton brigaram novamente

No programa show de noticias da radio sociedade hoje, saiu a informação de que o volante Uelliton deixou o treino revoltado, tudo ocorreu após o volante não ter sido relacionado para o jogo, a informação surpreende pois o atleta tinha sido vetado pelo departamento medico e por isso não iria jogar.

Uelliton por sua vez afirma que esta 100% e pronto para jogar e que é Paulo Cesar Carpegiani que não o quer no time, o atleta haveria ameaçado abrir o jogo na resenha da noite na radio sociedade, vamos aguardar para ver o que ocorrerá ou se é apenas uma falácia da imprensa baiana.

PAULO CARNEIRO É O ENTREVISTADO DO RESENHA RUBRO NEGRA

Após anuncio da equipe resenha rubro negra de que haveria uma entrevista na noite de hoje com o ex-presidente Paulo Carneiro as comunidade do Vitória no facebook repercutiram o assunto e na Arena Rubro Negra o clima esquentou, membros do grupo e o próprio Paulo Carneiro deram uma  previa de como a entrevista de hoje deve ser calorosa, muita discussão, acusação e tentativas por parte de PC em mostrar que é a grande opção nas eleições 2013 do Vitória.