CASO VICTOR RAMOS ENCERRADO: Inter vai pagar sua série B


O TAS decidiu no início desta manhã (6) que não tem competência para julgar o caso Victor Ramos e com isso encerrou a ação,dando triunfo ao Vitória com isso o Inter não tem mais como recorrer nas esferas esportivas, o único caminho seria uma improvável ação na justiça comum mas isto poderia acarretar punições graves a agremiação que já está manchada.

O caso Victor Ramos iniciou com Flamengo de Guanambi e Bahia no estadual 2016 mas o TJD-Ba e o STJD não viram irregularidades na transferência do atleta nos trâmites dá CBF, após rebaixamento no brasileiro, o Internacional decidiu ressuscitar o caso porém o rubro negro seguiu ganhando sem sequer o caso ser julgado, pois as instâncias desportivas acabavam sempre por arquivar o processo por entender que não havia ilegalidades.

Agora o Inter está confirmado na segundo na 2017 e ainda terá que pagar as custas do processo US$ 8 mil à CBF, US$ 12 mil ao Vitória e US$ 50 mil ao tribunal.

CASO LÉO: Vitória ganha ação contra Atlético PR


Leo vitória

A Juíza de Direito da 9ª Vara Cível de Salvador, em decisão proferida no dia de ontem, extinguiu a ação de execução ajuizada pelo Clube Atlético Paranaense contra o Vitória, na qual se discute o contrato de empréstimo, realizado em 2013, do lateral-direito Léo.
Segundo a decisão, a parte contrária não possui título que possibilite o uso da ação de execução, atendendo a tese de defesa do Vitória (através de embargos a execução).
Com a sentença, o clube do Estado do Paraná ainda foi penalizado, pois terá que pagar os honorários de sucumbência ao advogado da parte vencedora, no caso, o Esporte Clube Vitória, na quantia equivalente a 10% sobre o valor discutido na ação.
A decisão deverá ser publicada no Diário do Poder Judiciário nos próximos dias.
O Vitória, através do seu Departamento Jurídico e dos advogados contratados para a defesa da instituição, permanecerá acompanhando o desenrolar dos fatos, buscando fazer valer o disposto no contrato de empréstimo do atleta, que prevê o pagamento pelo clube paranaense de multa no valor de R$2.000.000,00 (dois milhões de reais) pela não disponibilização do atleta no prazo determinado.
Segue abaixo a conclusão da decisão:
“Isto posto, constatando que o documento que aparelha a execução não constitui título hábil, ressentindo-se, portanto, o procedimento de pressuposto de constituição e de desenvolvimento válido e regular do processo, impõe-se a sua extinção sem resolução de mérito com fulcro nos arts. 267, IV, 598 e 618, I, todos do CPC, o que ora declaro, por SENTENÇA. Declaro, ainda, a extinção do processo apenso (Embargos à Execução 031427-16.2014.8.05.001), face a evidente perda de objeto. Condeno a parte autora ao pagamento das custas processuais e honorários advocatícios que fixo em 10% sob o valor da execução”.
INFORMAÇÃO DO SITE OFICIAL DO VITÓRIA

Sexta dia 08, o dia D na Leão, dia de Julgamento(Cajá, Escudero, Caio Junior e Barradão)


Helder-Tavares_Superesportes_América-PE_0x1_Sport_PE2011

A eliminação diante do Ceará ainda trás dor de cabeça para o Vitória, além da eliminação precoce e longos dias sem partidas oficiais, o time amarga ainda alguns pesadelos daquele 17 de fevereiro, isso por o rubro negro terá 4 representações no banco dos réus.

renato_caja-ecvitoria-09Renato Cajá, Escudero, Caio Junior e o Barradão serão julgados nesta sexta, pois o juiz da partida colocou na sumula do jogo coisas que são passiveis de punição aos atletas, ao treinador e ao estádio do Leão.

Cajá seja julgado em dois artigos 258 (Assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva) e 254 (agressão física a árbitro), podendo pegar até 180 dias de suspensão.

Escudero tem a situação mais branda, expulso por reclamação será indiciado também no 258 com pena máxima de 6 partidas mas não deve ser punido tão severamente.

Caio Junior foi apontado no 243-f do CBJD (ofender alguém em sua honra), com isso pode pegar até seis jogos de suspensão.

estadio_barradao_decisao2_ericluis_95

E o Barradão pode ficar sem ser a casa do Leão em algumas partidas pois a arbitragem apontou que houve a necessidade de auxilio policial para deixar o gramado, pois pessoas trajando uniforme do Vitória, invadiram o campo para fazer protestos.