DO LEGADO AO CRESCIMENTO: O que Ivã de Almeida terá que fazer para um EC Vitória campeão

Ivã de Almeida presidente do Vitória Na noite de hoje(19) será empossado o novo presidente do conselho diretor do Esporte Clube Vitória, o professor Ivã de Almeida, e ele terá muito trabalho para lograr êxito em transformar o rubro negro num time campeão.

Para começar Ivã deve atentar para o legado deixado pelo ex-presidente Raimundo Viana, os quais merecem destaque:

INÍCIO DO FIM DOS PÉS NO CHÃO

Em mais de 8 anos em que o clube foi governado por Alexi Portela e Carlos Falcão me recordo de apenas 1 atleta que teve seus direitos adquiridos, mo caso Escudero no fim de 2013 no processo de renovação, há quem garanta que a medida foi apenas para garantir o triunfo na eleição do clube naquele ano. Pois bem, ainda que de forma moderada Raimundo Viana comprou Kieza, Marinho e Willian Farias e mostra o caminho a ser seguido. A política de pires na mão, mendigando atletas rejeitados por outros clube deve ser abandonada e o novo presidente, precisa dar continuidade a essa prática de investir em jogadores vistos como destaques.

INVESTIMENTO NO PATRIMÔNIO

Era constante as reclamações do torcedor sobre o investimento em estrutura e do final de 2015 ao final de 2016, pudemos observar investimentos em novos campos, inclusive um campo gramado sintético, acomodações das divisões de base, inclusive com academia e equipamentos médicos voltados somente para as novas gerações.

Valorização da marca fabrica de talentos.

ESPORTES OLÍMPICOS

Basquete,Vôlei,Futevôlei, futsal,Judô,Jiu Jitsu,MMA, Natação,Remo nunca vimos um Vitória tão plural, com tanto destaque em outros esportes, os investimentos para elevar a marca ECV além do futebol precisa ter continuidade e a VdT precisa olhar para isso.

ARENA BARRADÃO

A apresentação do projeto de reforma do estádio Manoel Barradas é algo que alegra o torcedor, analisar o que foi feito pela gestão passada e dar continuidade no processo de captação de recursos é importantíssimo para o futuro do Vitória.

MARKETING

Os eventos do clube foram de extremo sucesso este ano, desde o jogo amistoso com o Tianjin na Fonte Nova, a apresentação do trio DKV(Dagoberto,Kieza e Victor Ramos) e o evento de aniversário do clube, lograram êxito e foram bastante elogiados, inclusive na mídia nacional e é preciso seguir por este seguimento e dar ainda mais atenção ao marketing do clube.

CRESCIMENTO o que Ivã de Almeida não pode copiar.

O grande destaque do time nas ultimas 3 temporadas, Escudero não renovou e não se pode deixar Marinho sair sem esgotar todas as tentativas de manter o atleta em 2017.

PROFISSIONALIZAÇÃO DOS DEPARTAMENTOS

O clube precisa mais do que nunca de profissionais no futebol,base e marketing não podemos mais aturar tantos erros nestes setores, é preciso criar um planejamento, traçar o perfil e dentro dessa dinâmica investir.

Raimundo Viana assumiu que deixa o clube para seu sucessor com dinheiro em caixa mas a nova diretoria não pode continuar “desperdiçando” os recursos com contratações mal sucedidas, oriundas da falta de conhecimento profissional e de qualquer análise de desempenho. Conhecer desde o perfil do responsável pelas contratações, da triagem de atletas base x profissional, até as contratações que chegarão para o grupo é importante para que tenhamos bom desempenho nas competições disputadas.

Investimentos no futebol

O Vitória não fez grandes investimentos para o campeonato baiano 2016 e os reforços pontuais para o segundo semestre ficaram apenas nas promessas, o clube sofreu e por pouco salvou-se do descenso e isso não pode ser repetido.

FRACASSO NA BASE

O torcedor esta acostumado a ver a “fabrica de talentos” sempre entre os primeiros colocados das competições que disputa e este ano foi um festival de eliminações precoces desde a taça São Paulo a Copa do Nordeste o time andou decepcionando e para completar não tivemos tanta força para revelar destaques, Euller,Marcelo e Zé Welison já peregrinam no time de cima e Caique e David foram a salvação da lavoura em 2016, muito aquém dos R$ 8 milhões investidos por ano no setor.

SOU MAIS VITÓRIA X PREÇOS DE INGRESSOS

A política de ingressos este ano foi extremamente equivocada, majorar os preços dos ingressos, visando forçar o torcedor a se associar não teve sucesso e vimos o clube com público fraco, baixa arrecadação e com pouco apoio nas arquibancadas, os preços dos ingressos precisam estar condizentes com a realidade social de Salvador e compatível com os atrativos que o tim oferece, os investimentos no elenco é que farão o programa de sócios alavancar, ter um time competitivo que brigue por títulos que ofereça expectativa ao torcedor deve ser o caminho e não a prática de quase”extorquir” o torcedor.

Ainda nesse sentido do torcedor como força, é preciso de fato abrir o clube para seu torcedor, principalmente para os seus sócios, entender as necessidades e os anseios de quem vive o clube é importante, fazer um clube com ideias voltadas para uma melhor experiência de quem é a razão de existir de um clube é importantíssimo, e ouvir as ideias que surgem das vozes que ecoam da arquibancada deve ser o caminho para quem se denomina: VITÓRIA DO TORCEDOR.

Anúncios

2 comentários em “DO LEGADO AO CRESCIMENTO: O que Ivã de Almeida terá que fazer para um EC Vitória campeão

  1. Prezado Valmerson,

    Também acho que Viana deixou um importante legado em valorização da estrutura do clube.

    No entanto, a questão da política de ingressos é esquizofrênica.

    O Vitória teve média de público de 13.900 com 4.200.000,00 de renda

    O CAP teve média de público de 15.500 com 7.160.000,00 de renda.

    O Sport teve média de 11.500 com R$ 4.200.000,00 de renda.

    Se o Vitória deve cobrar ingressos considerando o poder aquisitivo de salvador, que vai pagar o custo de investimento de 300.000.000,00 para modernizar o Barradão ?

    Essa é a razão pela qual eu acredito que deveríamos estipular como teto de modernização do Barradão o faturamento bruto de um ano, ou seja, 80 milhões.

    Curtir

    • Robson nenhum clube no Brasil tem condições de construir uma Arena com verba de público em seus estádios, olhe o exemplo do Corinthians que mesmo com a maior média do país tem tido déficit.

      Para isso o clube precisa atrair investidores e captar recursos.

      Sobre os preços praticados na temporada 2016 com ingresos variando na cada de 40/60 a inteira o público foi fraco e arrecadação pífia, o ingresso na casa de 20/30 é um preço aceitável, condizente com toda certeza dará maior arrecadação.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s