DELEGADA: A mulher se mostrou muito confusa,Alcoolizada e não sabia o que teria acontecido em Hotel

normal_100_5049

A delegada Márcia Marcondes, que está à frente da investigação do caso de uma mulher de 44 anos que acusa quatro jogadores do Vitória de estupro, esclareceu o caso na manhã desta segunda-feira (30). Segundo ela, a mulher, que estava alcoolizada, não conseguiu identificar os suspeitos que teriam praticado a violência em um quarto de hotel, em Curitiba.

 

Em entrevista ao Correio24Horas, Márcia contou que a mulher estava muito confusa e procurou a Delegacia da Mulher para prestar queixa contra atletas do time baiano. “Fizemos atendimento da vítima e ela informou que estava em uma balada e de lá seguiu para o hotel onde se hospedou, ocorrendo um estupro posteriormente. Estamos fazendo algumas verificações do caso, porque existem informações desencontradas inclusive por parte das testemunhas, que desmentem a versão da vítima. Estamos em uma fase muito preliminar das investigações para termos um ponto de vista mais concreto do que aconteceu, mas ainda vamos analisar as imagens do hotel”, explicou.

 

Jogadores ainda não serão ouvidos

A delegada explicou ainda que, por enquanto, nenhum jogador do Vitória será ouvido pela polícia. “Como não temos condições de identificar nenhum dos acusados, já que a vítima não reconhece quem a teria estuprado, só vamos poder ouvir essas pessoas posteriormente, depois de avaliar imagens. Dependendo do decorrer das investigações, os jogadores podem ser ouvidos aqui (em Curitiba) ou ai em Salvador. Eles não estão presos, podem voltar a Salvador e voltar às atividades normalmente. Não podemos inverter a ordem dos fatos, já que não temos peças acusatórias. É muito cedo afirmar se houve ou não um ato criminoso”, analisou.

 

Vítima não sabe o que aconteceu

Ainda segundo informações da delegada, a vítima estava alcoolizada durante o suposto estupro e não consegue lembrar o que aconteceu. “Ela não consegue se lembrar do ato sexual. O que a leva a crer que foi estuprada é o fato de ela ter acordado nua. Ela não sabe precisar o que aconteceu, só acredita que viu pessoas entrando no quarto dela. O problema é que as informações que temos é de que estas pessoas já estavam no quarto”, avaliou.

 

Márcia informou ainda que a vítima será ouvida novamente na próxima sexta-feira (4). “Ela estava muito confusa e não estava em condições de um questionamento muito extenso. Ela estava cansada e sem dormir e nós primamos por respeitar a nossa vítima. Ela está em um hospital e vai passar por exames e, depois, vai conversar conosco novamente. Por enquanto, ela fala em violência, mas não especifica os atos”, disse.

 

Amiga nega crime de estupro

Uma das amigas da mulher acusada nega a versão de estupro. Segundo ela, a suposta vítima estava alcoolizada e não se recorda direito do que aconteceu. A delegada vai ouvir a amiga da mulher de 44 anos, mas relembra que outras peças precisam ser escutadas. “Esta amiga é uma peça, mas não é a única. Lidamos com seres humanos e precisamos lembrar que eles nos relatam os fatos com suas próprias impressões”, alertou.

 

Punições e novos depoimentos

Caso seja comprovado que houve estupro, os jogadores identificados poderão ser presos. Segundo Márcia Marcondes, “caso o estupro seja comprovado e se houver necessidade, haverá um pedido de prisão preventiva”.

 

No entanto, se for comprovado que nenhum crime foi cometido, a suposta vítima “responderá criminalmente e poderá ser processada pelos acusados”.

 

A Delegacia da Mulher ouvirá funcionários do Hotel Bourbon na tarde desta quarta-feira (2). A próxima a depor será novamente a suposta vítima, que voltará a conversar sobre o caso na sexta-feira (4).

 

Fonte : Correio 24 horas

 

Anúncios

13 comentários em “DELEGADA: A mulher se mostrou muito confusa,Alcoolizada e não sabia o que teria acontecido em Hotel

  1. Interessante mesmo, como é que uma mulher já não é mais nenhuma menininha e/ou inocente e acompanha quem não conhece até um local e pelo que foi informado com sintomas de estar alcoolizada ?. No mundo atual ( momento) que vivemos cheio de maldades e se houve algum ato foi com consentimento ou então ela queria conhecer o ¨caranguejo dourado¨.

    Curtir

  2. Prezado Mocota,

    Gostaria de registrar duas opiniões:

    1. Também sou favorável a proposta de Vitória lutar pelo Pituaçu.

    Acho, inclusive, que poderia ser proposta a permuta do Complexo do Barradão pelo Pituaçu.

    É que o Barradão tem espaço para o Estado da Bahia construir espaço olímpico/ ginásio esportivo etc ….

    Neste contexto, o Vitória quer investir uns 20 milhões para construção de um novo CT.

    O problema é que nem o Estado da Bahia nem o ECV tem esta idéia.

    Aliás, o Governo da Bahia fez um acordo para não utilizar o Pituaçu.

    2. Proposta de construção da Arena Paralela.

    Construir em que local Mocota ????

    O que resta de Mata Atlântica na Paralela são lagoas que não podem ser aterradas.

    O único espaço seria o antigo Wetn Wild.

    Qto. custaria o terreno ????

    Em todo caso, a proposta deve ser estudada (para ser acatada ou descartada).

    Se não fosse possível um espaço na Paralela, poderia se pensar em um terreno nas imediações do Aeroporto.

    No entanto, tudo deveria ser analisado a partir do custo/ benefício de uma obra em etapas.

    O ABC conseguiu um bom terreno na Rota do Sol em Natal e fez esta opção.

    Devem concluir o Estádio deles nos próximos anos.

    3. Reforma do Barradão.

    O Barradão não tem visibilidade espontânea e tem um acesso difícil.

    No entanto, o clube deveria fazer de tudo para facilitar o acesso (inclusive, para melhorar o valor agregado do Terreno).

    Ademais, o investimento seria relativamente baixo.

    A TORCIDA NO INTERIOR.

    De fato, carreatas não vai transformar a cultura do local.

    Por outro lado, ficar de braços cruzados em relação ao problema (como se fosse um evento fatal) é muito pior.

    Acredito que uma das razões pelas quais não temos torcida no interior é, simplesmente, porque não se comenta acerca da dupla baxvi no interior.

    O que fomenta uma torcida são títulos/ rivalidade …. .

    Apesar do seu pessimismo, acredito que poderíamos começar com iniciativas simples:

    1. Definir um raio de ação, ou seja, um raio de cidades que em razão da proximidade de Salvador possam sofrer influência cultural da mesma.

    Sugiro um raio de 200 Km para os próximos 05 anos.

    2. O Vitória deveria definir uma cidade da Região Metropolitana para ser a casa da divisão de base do Vitória nos próximos 05 anos.

    3. O Vitória deveria promover eventos em cidades no raio de 200 Km com população superior a 20.000 habitantes (eventos com ciclismo/ corrida/ caminhada/ museu itinerante ….).

    4. O Vitória deveria ter um site minimanete organizado para divulgar sua marca.

    5. O Vitória deveria realizar pré temporada de uma semana, por ano, em uma cidade do interior da Bahia.

    6. O troféu do Estadual, ao invés de contar com monumentos de Salvador, deveria retratar paisagens do interior, inclusive, para serem exbidos naqueles locais (como forma de divulgar nosso campeonato em outros locais).

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s