Os problemas e contradições da Política de pés no chão

No final da década de 80, o Vitória saiu do ostracismo e se tornou o clube de maior crescimento no futebol brasileiro, isso só foi possível através de um projeto arrojado de investimentos em patrimônio, divisão de base e departamento de futebol, sendo exatamente nesta ordem, logo no inicio da década de 90 os resultados começaram a surgir, e o rubro negro saiu do posto de 3ª força do futebol estadual, para o de melhor clube do Norte-Nordeste.

O Leão passou a ostentar títulos louváveis dentro e fora de campo, à junção: Barradão, Toca do Leão e Sede de Praia renderam ao Vitória a fama de possuir a 4ª melhor estrutura do país para  pratica do futebol, e a divisão de base revelava talentos por atacado e conquistava títulos aos em todas as categorias em diversos países, o que fez o Leão rugir como: Fabrica de Craques “A MELHOR DIVISÃO DE BASE DO BRASIL, SENDO A 4ª MELHOR DO PLANETA”.

Os investimentos continuaram nos anos seguintes e a expectativa é de que logo o brioso se tornaria uma das maiores forças do futebol do país, o ano de 1995 ilustrou bem isso quando o ESPORTE CLUBE VITÓRIA, inicia o projeto para se tornar o primeiro clube empresa do Brasil em parceria com o grupo EXCCEL, daí passamos a ver a montagem de grandes times e a conquista de títulos inéditos, era chegada a era Bebeto, Agnaldo, Túlio, Aristizabal, Petkovic, Esquerdinha, Russo, Tuta, Arthur e tantos outros, era do Tri estadual, do Bi do nordeste e semifinal do campeonato brasileiro de 1999.

A chegada do ano 2000 é aguardada com grande esperança

A expectativa é de continuidade nas políticas de crescimento, mas nesta época o Vitória entrou num processo de estagnação, e logo depois de regressão, mesmo mantendo a hegemonia estadual com 11 conquistas na década, 8 no campeonato baiano e 3 na Taça estado da Bahia e supremacia regional com 2 títulos da Copa do Nordeste, o Vitória já não apresentava o mesmo ímpeto de crescimento no âmbito nacional e a sua divisão de base formadora de talentos passou a ser utilizado como maquina de fazer dinheiro, já que todo bom atleta era vendido sem ao menos ter a oportunidade de ajudar o time principal.

Os investimentos na estrutura estancaram e perdemos posições para alguns clubes como o Atlético PR que hoje ostenta o melhor CT do país, os projetos da Arena Paralela e Projeto Rússia não saíram do papel e para agravar as relações com o Exccel  Group sofreram duras sanções, sem o mesmo poderio de antes, o Leão viu as coisas ficarem mais difíceis e mesmo chegando a uma semifinal e uma final da Copa do Brasil,estas não demonstraram ser frutos de uma boa gestão.

A GESTÃO PÉS NO CHÃO

Em 2006 o Vitória encontra-se no mais fundo poço do futebol brasileiro: A serie c, somado a isso o clube tem um déficit financeiro alto e as arrecadações e investimentos cada vez menores, a divisão de base em processo de sucateamento e o patrimônio do clube sendo dissolvido, daí surge a figura do presidente Alexi Portela JR, levantado por todos no clube, Alexi cria com Jorginho Sampaio um projeto de reestruturação do clube,  que culmina no desejo de retornar a elite do futebol do País e de retornar o processo de desenvolvimento do clube.

Em 2007 o plano deu certo, o Leão retornava a elite do futebol brasileiro, mas a expectativa de continuidade no crescimento  logo virou frustração com a introdução da chamada política de pés no chão, que consiste na redução de gastos em todos os setores do clube, na tentativa de quitação das dividas extensas. Sem contar com dinheiro em caixa o departamento de futebol passou a priorizar jogadores desconhecidos ou em alguma espécie de descenso (contusão, sem clube, baixo salário), e jovens promessas de outras equipes, e a verdade é que esta política pouco trouxe resultados positivos, tanto no campo como no setor financeiro: Dinei, Junior, Marcelo Cordeiro, Fabio Ferreira, Ricardo Conceição, Nino Paraíba, Viáfara, e Vanderson são as exceções no caminhão de Roque, Luciano Almeida, Marco Aurélio e mais de 60 nomes que comporão o elenco do Vitória nestes 4 últimos anos.

Se o desejo era de equilibrar as contas, isso falhou, a verdade é que o Vitória teve um déficit financeiro de R$ 5 milhões no ano de 2009 e R$ 6 milhões em 2010, e a tendência é de novo prejuízo em 2011, já que a arrecadação será bem menor com a queda para a segunda divisão, o fato de não competir na sul-americana 2011 também contribui para este prejuízo.

Outro fator que não pode ser desprezado é que o programa de sócio torcedor vem sofrendo um processo de estagnação, já que não há investimentos na base, futebol, patrimônio e o torcedor não conhecem o planejamento do clube, já que este faz questão de manter tudo que diz respeito às decisões em alto sigilo, sendo o site oficial e o de marketing meros veículos de figuração, sem noticias de grande impacto e novidades, a nação rubro negra não sente o desejo de filiar-se em massa com o clube, ainda mais quando não se tem a expectativa de qualquer tipo de retorno, em contra mão  vemos o Ceara com a imitação do nosso plano crescer de forma empolgante a cada ano, desenvolvendo políticas de marketing que fazem o time partir para tentativa de dominar o norte-nordeste e impactar o país com o seu futebol.

Portanto é necessário mudar a política de reduzir os investimentos nos setores que fazem o clube crescer e que alavancam a fidelização do torcedor, e o fortalecimento da marca ESPORTE CLUBE VITÓRIA do contrario não veremos o Vitória entre os grandes do BRASIL.

14 comentários em “Os problemas e contradições da Política de pés no chão

  1. A política pés no chão devem existi exceto no futebol, já que é o responsável pela existência do clube. Só que no Vitória é uma política contraditória, vide o caminhão de jogadores que são contratados e dispensados.

    O texto tá excelente, Valmerson. Queria saber como achou esses valores financeiros, já que o clube, como você disse, mantem as informações em sigilos, faltando transparência.

    Nosso clube anda tendo sucessivos prejuízos, assim é afirmado, mas não deixou de pagar o Presidente, 4 milhões, em ano de série b (queda de receita) e de contabilizar vários prejuízos anuais.

    Curtir

  2. Valmerson, enquanto continuamos com esta politica de pés enfiados no concreto o Ceará que nos copiou apenas no formato do plano de sócio pois do jeito que esta crescendo deve ter várias vantagens e acabam de lançar uma revista do clube revista esta que um dia nós também já tivemos, ontem ouvir uma noticia dada pelo reportér Silva Rocha que me deixou de queixo caido segundo ele o dinheiro recebido pelo clube (VITÓRIA) das vendas de Wallace e Anderson cerca de pouco mais de R$ 5.000.000,00 foi tirado R$ 4.000.000,00 para pagar o presidente ou seja mesmo com o clube na situação vexatória que esta foi feito isto será que ficaria menos rico se aguardasse até o final do ano investindo este dinheiro em reforços para que realmente voltemos á 1ª divisão só espero que ao final do seu mandato não entre na justiça querendo indenização e ainda ontem o Falcão falou que pelo menos nestes dias que esta como presidente ira tenatr trazer pelos menos 2/4 jogadores ganhando na faixa de R$100.000,00 pois isto é uma vontade pessoal dele pelo menos como presidente neste periodo ou seja ou o clube tem condições para fazer ou Alex é que não quer investir.

    Curtir

    • Geraldo, o problema é justamente este, o Vitória é um clube auto-sustentavel, mas a nossa diretoria faz questão de sucatear tudo, poderiamos ter um socio torcedor mais efetivo do que o do Ceara quee é copia do SMV, poderiamos ter uma revista oficial do clube, coisa quei já tivemos outrora, poderiamos ter um portal de informações sobre os esportes olimpicos, e maior utilização da base e etc.

      Curtir

  3. Ô seu imitão (kkkkk), até o layout vc deixou parecido com o meu!!!!

    Ainda bem que eu fui mais rápido sobre As cronicas de Nania. Eu ia postar ontem e anteontem, mas tive outras coisas a fazer e quando cheguei em casa batia a preguiça de mexer no Corel (até este mesmo que fiz foi simples. Se eu fosse elaborar mais eu iria perder o posto de exclusividade pra vc hahahaha).

    Parabéns pelo texto!

    Curtir

  4. caraca, você explanou tudo meu irmão!

    Valmerson que onda é essa? Quer dizer que ao invés de pagar as dívidas o clube esta ficando mais endividado?

    meu Deusssssssssssssssssssssssssssssss!

    Curtir

    • É ao invés de mais grana em caixa e mens dívidas, o Leão tem é se endividado e enfraquecido com a politica de Alexi!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s